+55 19 | 2514-9900

Descubra qual é o papel de T&D na era da computação cognitiva

A inserção das novas tecnologias em todos os campos de nossas vidas vem apresentando transformações radicais. A chamada era da computação cognitiva chegou para valer, também, nas empresas, influenciando as formas de desenvolver pessoas.

A área de recursos humanos, que antes era vista como uma mera auxiliar para questões como folha de ponto e pagamento, por exemplo, foi ressignificada. As mudanças são bastante visíveis, igualmente, em recrutamento, gestão e aprimoramento de habilidades e competências de funcionários.

Recursos como inteligência artificial, big data e people analytics entraram nos processos de T&D com força total, tornando o setor cada vez mais analítico. Hoje, é tudo orientado a dados. O feeling ainda existe, mas é parte pequena da tomada de decisão, pautada em argumentações técnicas e estatísticas.

Quer saber tudo sobre computação cognitiva e como essa nova era direcionada aos dados influencia e vai influenciar ainda mais as ações de treinamento e desenvolvimento nas empresas? Então continue a leitura!

O que é a computação cognitiva?

De forma resumida, computação cognitiva é a simulação da inteligência humana por meio de sistemas pré-programados. 

A inteligência artificial (IA), tão falada nos últimos tempos, é a base para essa tecnologia, que conta com os algoritmos do machine learning para que os bots sigam aprendendo durante o seu ciclo de funcionamento.

O termo foi cunhado e disseminado pela IBM, ao desenvolver sistemas capazes de criar uma relação nunca antes vista entre seres humanos e máquinas, capaz de amplificar as capacidades cognitivas das pessoas. Daí o nome computação cognitiva.

Ela chega para elevar a inteligência humana, no sentido de dar maior velocidade a processos, lidar com muita informação ao mesmo tempo e, ainda assim, tomar decisões importantes.

É fato que os sistemas cognitivos não terão consciência própria ou agirão 100% sozinhos. Porém, a cada dia estão sendo mais incorporados a softwares e processos de criação de produtos e serviços no mundo todo.

Agora que você já compreendeu o conceito da computação cognitiva, vamos abordar sua influência nos processos de recursos humanos e, especificamente, em treinamento e desenvolvimento de pessoas.

A era cognitiva em RH e T&D

Depois da automação de inúmeras atividades e transações trabalhistas, os profissionais de RH e T&D se viram numa nova função: mais estratégica, analítica e tomadora de decisões.

Para se ter uma ideia, a própria IBM realizou uma pesquisa, intitulada IBM Global C-suite Study, com mais de 600 executivos de RH, de 70 países. A ideia foi levantar insights sobre a influência da tecnologia nesse universo. Os respondentes apontaram como assuntos prioritários:

  • gerenciar funções críticas para atender a nova organização centrada no cliente digital;
  • endereçar as oportunidades do emergente mundo digital;
  • usar componentes analíticos para entregar mais valor ao cliente final.

No entanto, o departamento de T&D tem a função, com apoio da computação cognitiva, de mapear onde estão as necessidades das organizações.

Ações como pesquisa de clima e a própria avaliação de desempenho darão insumos para realizar análises preditivas (identificar a probabilidade de resultados futuros, a partir de dados históricos) que apoiem o desenvolvimento de pessoas.

Assim, minimizam-se questões fundamentais para qualquer companhia, como turnover, absenteísmo e baixa produtividade.

A seguir, confira algumas características que profissionais de T&D precisarão ter a partir da consolidação da computação cognitiva:

  • mediador da cultura organizacional, colaborando na disseminação de ideias, constantemente;
  • protagonista do estímulo à produtividade, identificando gaps em uma velocidade jamais vista;
  • analista nato, empoderando líderes e direcionando carreiras, por meio dos dados extraídos de ferramentas;
  • profissional preditivo, excluindo a intuição dos processos e sendo direcionado pelos dados;
  • inovador, sempre testando novos caminhos em treinamento, com a tecnologia direcionando os caminhos do negócio.

Conclusão

Na rotina de treinamento e desenvolvimento, a computação cognitiva está presente de diversas formas, mas, principalmente, em plataformas de LMS (learning management system) e outros sistemas organizacionais.

Em meio a tantas informações sobre pessoas, processos e busca de resultados, é papel dos profissionais de T&D entender essa complexidade e, com apoio da computação cognitiva, apresentar soluções que elevem a produtividade dos colaboradores de forma ágil e eficaz.

E na sua empresa, como a era cognitva já se faz presente? Deixe a sua visão no campo de comentário do blog, abaixo.

Dorian Larcerda Guimarães
Fundador e CEO da ISAT