Como Saber o que Você Precisa de uma Plataforma de Aprendizado

Como Saber o que Você Precisa de uma Plataforma de Aprendizado

por Richard Havinga

Com tantas opções, a escolha da plataforma de aprendizagem correta pode ser um desafio para as equipes de aprendizado e desenvolvimento. Neste primeiro artigo vamos dar uma olhada em como elaborar suas necessidades de forma eficaz.

O processo de decidir sobre uma plataforma de aprendizagem é muitas vezes excitante: você provavelmente saberá amplamente o que deseja alcançar, mas ainda não conseguirá definir um entendimento detalhado de suas necessidades. Construir uma lista de desejos, estruturada em torno de seus objetivos e requisitos do usuário, é vital quando existem milhares de plataformas para escolher.

Então, qual é a melhor maneira de obter uma ideia clara de seus requisitos de ecossistema de tecnologia de aprendizagem, tanto em nível organizacional quanto granular? A minha experiência como Arquiteto de Soluções na LEO Learning demonstra que existem alguns processos-chave que as organizações podem empreender para finalizar seus requisitos e objetivos.

Definindo qual será sua visão para uma plataforma de aprendizado

A melhor maneira de chegar a um consenso inicial claro é através da análise, planejamento e mapeamento das necessidades históricas de seus usuários. Esta é uma chance de reunir todos os seus principais interessados ​​para entender exatamente por que você precisa de uma plataforma de aprendizado e qual é o objetivo mais abrangente da sua existência.

Você pode ter uma plataforma de aprendizado existente que atenda aos seus objetivos, talvez precise aprimorar uma ou mais de suas plataformas atuais ou utilize várias plataformas para criar um ecossistema de tecnologia.

O principal objetivo nesse ponto deve ser entender o que é mais importante para você como um negócio e quais são seus drivers. O mapeamento de histórias cria uma representação visual dos requisitos da sua plataforma, contando as histórias que descrevem as jornadas dos usuários por meio de uma narrativa. É uma ótima ferramenta para detalhar grandes histórias enquanto você as conta, encontrar falhas em seu pensamento e esclarecer como será sua plataforma de aprendizado.

Uma maneira de olhar o caminho para a plataforma de aprendizado ideal é utilizar a analogia de pedregulhos, pedras e seixos:

  • Pedregulhos são seus objetivos primordiais
  • As rochas são atividades menores que você precisa alcançar para concluir essas metas
  • Os seixos representam tarefas menores que se somam à atividade completa

Você também pode pensar no processo de se preparar em uma manhã normal. As atividades associadas ao seu objetivo – se preparar para o trabalho – podem ser escovar os dentes, tomar um banho e se vestir. Mas há também inúmeras atividades subjacentes, ou sub-tarefas, que apoiam suas principais atividades, como ajustar a temperatura da água e lavar o cabelo.

 

Entendendo o que seus usuários precisam de uma plataforma de aprendizado

Se relacionarmos isso com um Sistema de Gerenciamento de Aprendizado (Learning Management System), provavelmente será necessário permitir que os alunos agendem suas participações em algum curso. Com a opção de fazer isto, você pode garantir a eles que pesquisem tópicos, paguem por um módulo específico e selecionem diferentes opções de pagamento.

É aconselhável nomear os diferentes tipos de usuários que usarão a plataforma e descrever o que eles conquistarão ao fazer isso. Por exemplo, pense sobre esses grupos:

  • Analistas de L&D que precisam informar sobre a medição e entender quais funcionários concluíram cursos por meio de uma plataforma de aprendizado;
  • Gestores que precisam realizar treinamento obrigatório específico para liderança;
  • Forças de trabalho completas que precisam fazer cursos genéricos de saúde e segurança.

Você pode precisar dividir seus grupos de usuários em grupos menores se eles tiverem necessidades específicas, como por exemplo, gerentes de linha e líderes de equipe.

Ao pensar sobre as necessidades e agrupamentos dentro de sua organização, é uma boa ideia criar uma persona fictícia de quem cumpre esse papel, com base em atributos da vida real. Isso humaniza os requisitos e permite que você realmente tente se colocar no lugar do grupo.

Na fase inicial do mapeamento, você pode dividir sua equipe em usuários com funções de administração de back-end e usuários com funções de aluno e cliente de front-end. Essas sessões de planejamento tendem a ser divertidas, envolventes e estimulam o debate, levando a metas refinadas e uma maior clareza de visão.

Os grupos com os quais você provavelmente está pensando também terão metas diferentes ao longo de um ano, de acordo com o treinamento necessário para concluir seus objetivos. Essa é outra razão pela qual capturar os grupos é importante.

Este trabalho também ajuda a desenvolver sua própria plataforma de aprendizado, estabelecendo uma referência para mensuração em comparação com outras plataformas e criando uma visão que você pode incluir em sua proposta.

Mapeando um caminho para a plataforma de aprendizado correta

Agora você pode dividir seu mapa em lançamentos holísticos de produtos, entre os usuários e o uso da plataforma. Eles criam um roteiro de lançamento incremental, em que cada lançamento é uma versão de produto mínima viável.

Cada lançamento deve ter resultados e impactos objetivos, demonstrando como o lançamento contribui para a meta geral que motivou a criação do produto e como os usuários se comportarão de uma maneira que nos ajude a alcançar a meta.

Identifique suas métricas de sucesso para cada versão, respondendo à pergunta: “O que mediríamos para determinar se essa plataforma foi bem-sucedida?”. Idealmente, isso envolverá mudanças específicas no comportamento dos usuários conforme a plataforma for usada de acordo com o mapa imaginado.

 

Definindo seus requisitos da plataforma de aprendizado

Na realidade, o estágio de criação dos perfis de usuários é muitas vezes esquecido ou realizado de forma insuficiente durante o caminho para a seleção de plataformas de aprendizado. As organizações podem entrevistar algumas pessoas em uma sala, mas sempre há algumas áreas que ficarão de fora da pesquisa.

Isto acaba levando à escolha errada da plataforma de aprendizado ou do fornecedor, ou a um mapeamento incompleto, porque não havia detalhes suficientes na preparação.

Ao mapear as experiências dos usuários e identificar os pontos de contato nas plataformas que você pode usar, pense em todas as grandes possibilidades da sua plataforma, bem como em tudo que pode dar errado. Só então poderá prosseguir com a confiança de saber que sua lista de requisitos foi rigorosamente montada e explorada.

Depois de detalhar suas necessidades, você estará pronto para aproveitar as melhores tecnologias e estruturas oferecidas pelas plataformas de aprendizado, com funcionalidades personalizadas específicas para suas necessidades.

Em nosso próximo post sobre as plataformas de aprendizado explicaremos como dar o próximo passo e selecionar o melhor LMS. Se você quiser aproveitar ao máximo a experiência da LEO Learning nesta jornada, entre em contato conosco hoje mesmo.

Richard Havinga é arquiteto de soluções na LEO Learning.

Como Saber o que Você Precisa de uma Plataforma de Aprendizado
Avalie o Post

Related Posts