Círculo de Ouro: como a pergunta certa pode revolucionar a aprendizagem

A interdisciplinaridade é uma prática muito comum à educação: cada área do conhecimento humano possui diferentes conceitos, teorias e práticas que complementam e enriquecem outras disciplinas.

Existem inúmeros conceitos de administração, psicologia e marketing, por exemplo, que podem beneficiar o aprendizado com insights inovadores a respeito de nossas habilidades e motivações, ou sobre como planejamos e utilizamos diferentes estratégias para conquistar nossos objetivos.

Simon Sinek é um autor britânico e palestrante do TED que escreveu 04 livros, incluindo o best-seller “Start with why”. Em palestras como “Por que bons líderes fazem você se sentir seguro” ou “Como grandes líderes inspiram ação”, o especialista em liderança e consultor de marketing desafia indivíduos, executivos e empresas a examinar suas crenças e propósitos para poder compreender o que os motiva e o que leva os consumidores a comprarem seus produtos e serviços.

“Se você contratar pessoas apenas porque eles podem fazer um trabalho, eles trabalharão pelo seu dinheiro. Mas se você contratar pessoas que acreditam no que você acredita, elas trabalharão para você com sangue, suor e lágrimas”

– Simon Sinek

 

O trabalho de Sinek examina porque priorizamos a partir de “o que fazemos” e “como fazemos”, ao invés de começar nossos questionamentos por uma pergunta simples, mas muito mais importante: porque fazemos o que fazemos? De acordo com ele, a compreensão sobre os propósitos que nos inspiram é o primeiro passo para que possamos analisar possibilidades e atitudes que nos levarão a conquistar o sucesso naquilo que nos predispusermos a fazer.

Este pensamento foi organizado pelo autor em um modelo conceitual simples e objetivo – o Círculo de Ouro. Este modelo oferece uma visão interessante sobre os motivos que levam alguns líderes e empresas a alcançar um nível excepcional de influência. Em seus exemplos, Simon Sinek destaca como a Apple se tornou um modelo de organização capaz de inovar em diversos setores e como pessoas como Martin Luther King se tornaram líderes capazes de inspirar a ação ao invés de apenas manipular as pessoas a agir.

Mas como a aprendizagem pode se beneficiar destes conceitos de administração e marketing?

Atualmente, a maioria das empresas usa um padrão contrário ao proposto pelo Círculo de Ouro. Partirmos da análise sobre “o que” precisamos (quais os conteúdos e ferramentas que temos que desenvolver), passamos por “como” faremos para lançar nosso projeto de treinamento (considerando quais estratégias de entrega e modelos instrucionais serão usados) para somente depois chegarmos no “porque” precisamos realizar estes treinamentos, ao considerarmos os objetivos e resultados finais que desejamos.

Mas como Sinek menciona em seu livro e em suas palestras, as pessoas não compram o que você produz, mas sim o porque você produz. Tanto faz se o que se quer “vender” é a aquisição de conhecimento através de um treinamento corporativo ou uma mercadoria produzida por sua empresa: é o propósito por trás de suas escolhas e atitudes que faz com que outros acreditem no que você tem a oferecer.

Se a chave para desenvolver uma educação envolvente consiste em primeiro estabelecer a motivação para aprender, a pergunta certa pode revolucionar a aprendizagem e nos conduzir a um novo cenário, onde investimentos em T&D são muito mais eficientes e assertivos.

Quando invertemos a lógica que costuma ser aplicada, descobrimos que trabalhar a motivação é uma peça essencial no planejamento estratégico do treinamento.

Faça o teste: defina o objetivo ou meta de seu curso tendo em mente a construção do propósito por trás de suas necessidades. Se o seu time precisa ser treinado para fortalecer uma competência específica, encontre a motivação que conectará seus alunos ao resultado que a empresa deseja.

Esta motivação nunca deve ser reduzida a “precisamos aumentar as vendas em 5%” ou “a equipe precisa aprender a trabalhar no novo sistema” – estes exemplos representam resultados e resultados não direcionam comportamento. Se o “porque” de seu treinamento for estruturado pensando no propósito de suas ações o incremento de vendas será um motivo para desenvolver novas performances e a necessidade de atualização para o novo sistema será uma ferramenta para aprendizado e maior produtividade.

Seguindo por este caminho, o “como” apresentará novas possibilidades estratégicas para a estruturação do aprendizado, tornando mais claro para o time de treinamento e desenvolvimento “o que” precisa ser feito para criar conteúdos e ferramentas que engajem os alunos ao propósito do treinamento, tornando-os mais ativos e responsáveis por seu próprio aprendizado, uma vez que entendem por que ele é importante, como ele precisa ser feito e qual deve ser o resultado.

Como Sinek indica em seu livro, quando a maioria das organizações ou pessoas pensam, agem ou comunicam, elas o fazem de fora para dentro, dizendo o que fazem e como fazem, mas raramente porque fazem o que fazem. No entanto o valor de nossas atitudes e decisões reside dentro de nós, em nossas crenças e motivações – são estes comportamentos os responsáveis por inspirar mudanças e revolucionar resultados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *