+55 19 | 2514-9900

A forma de administrar dados vai mudar!

A ascensão do mundo digital revolucionou a maneira como lidamos com o ambiente ao nosso redor: da forma como interagimos entre nós e agora também com marcas (por meio das redes sociais), como compramos (com o crescimento do e-commerce) ou até mesmo como lidamos com nosso dinheiro (através de fintechs e operações cada vez menos físicas e mais online).

O que antes era impensável hoje é considerado trivial e, se no passado era comum navegar pela grande rede com uma sensação de quase anonimato, hoje isso não é mais possível: basta abrir o navegador ou usar o celular e seus aplicativos e pronto: estamos conectados e cada passo online é registrado e compartimentado como um dado valioso, que pode ser utilizado ou comercializado por empresas sem que tenhamos muito controle sobre sua captação ou aplicação futura.

A preocupação crescente com a coleta, processamento e uso de dados pessoais tem se tornado uma fixação, especialmente após seguidos escândalos envolvendo gigantes como Facebook e Google que escancararam o que pode ser feito com as informações que diariamente disponibilizamos ao navegar pela internet. Movimentos sociais e governamentais, em diversos países, levaram à criação de legislações especialmente voltadas para este tema.

No Brasil esta conversa se iniciou em 2014 com o Marco Civil da Internet e se aprofundou quatro anos depois com a aprovação da Lei Geral de Proteção de Dados, ou LGPD, que entrará em vigor em agosto de 2020.

O que muda com a Lei Geral de Proteção de Dados

Os principais pontos da LGPD se concentram em garantir aos indivíduos maior controle sobre seus dados, maior privacidade online e estabelecer parâmetros de segurança no tratamento destas informações, dentre outras ações relacionadas.

Estes objetivos representam uma grande mudança para empresas que lidam diariamente com informações de seus clientes, pois determina quais dados poderão ser coletados, processados, armazenados e compartilhados e como a fiscalização das novas normas será feita – com sua adoção prevista para agosto de 2020, esse é o prazo que as organizações terão para adaptar suas estruturas, sistemas e equipes para a nova legislação.

Como preparar sua empresa para as mudanças futuras

Alterações legais representam um grande desafio e precisam ser rapidamente assimiladas para reduzir o risco e fortalecer as políticas de governança essenciais para garantir que a empresa esteja pronta para atuar em conformidade.

Por isso é preciso trabalhar lideranças e principais partes envolvidas na gestão de dados dos clientes para que compreendam a importância da nova legislação, o impacto gerado por ela e como cada parte deve atuar para que tudo seja feito de acordo com a lei.

Como a LGPD estabelece diretrizes que afetam diversas áreas, é preciso trabalhar com cuidado a comunicação de seu conteúdo para que todos tenham acesso a informações corretas e coerentes com suas áreas de atuação, por meio de uma abordagem simples e objetiva.

Como o streaming pode ajudar a treinar sua equipe para a nova legislação

O mundo digital também gerou frutos no ambiente corporativo, especialmente na formação e no desenvolvimento de novos times. O e-learning revolucionou a sala de aula e agora, aliado aos serviços de streaming, também está revelando novos caminhos para o aprendizado. As transmissões ao vivo são uma grande tendência para treinamentos de compliance, com vantagens bem claras sobre outros métodos:

Experiências interativas: a imersão é fundamental para o engajamento e a consequente retenção do conteúdo que é apresentado, especialmente quando a tecnologia enriquece o aprendizado por meio de colaborações entre equipes e interação direta com os especialistas envolvidos no projeto;

Melhor experiência de aprendizado: aprender com transmissões ao vivo é uma experiência totalmente diferente, já que é possível revisitar o conteúdo sempre que for necessário com total foco e objetividade, sem dispersão e com reforço especial sobre os pontos que realmente importam;

Conteúdo sob demanda: mudanças legais geram uma grande demanda por tópicos específicos e o streaming permite que plataformas de treinamento forneçam conteúdo sob demanda em tempo real para diferentes audiências, ajustando o treinamento a cada etapa do processo de conformidade;

Acessibilidade e mobilidade: a facilidade de acesso é outro grande benefício das transmissões ao vivo. Plataformas online e aplicativos especialmente desenvolvidos oferecem suporte online em tempo integral e permitem que cada aluno crie sua biblioteca particular para consultas a qualquer momento.

As transmissões ao vivo são grandes aliadas do aprendizado: interatividade, acessibilidade e customização são palavras de ordem para treinamentos corporativos que precisam assegurar o engajamento de seus colaboradores, principalmente quando consideramos ações de governança e compliance, que é o caso do cenário que se desenha com a Lei Geral de Proteção de Dados.

Lembre-se que sua operação precisará estar pronta em agosto de 2020 e que o uso do streaming em treinamentos e-learning é um dos meios mais rápidos e efetivos para o desenvolvimento de novas competências!