5 dicas vitais para facilitar a gestão do conhecimento

Diz a lenda que, até hoje, a fórmula secreta da Coca-Cola é do conhecimento de somente dois executivos da companhia. Diversas patentes também protegem esse mistério do mercado, mas muito falam que toda a atmosfera criada pela empresa não passa de pura estratégia de marketing.

E se tudo isso for verdade? O exemplo acima representa uma cultura corporativa antiga, em que as empresas faziam questão de guardar os seus segredos a sete chaves. Atualmente, a prática é oposta: gerar e disseminar conhecimento se tornou fundamental para o sucesso tanto de profissionais como das organizações.

Não há tempo a perder. A chegada do digital e de novas tecnologias todos os dias acelera e engrandece o nível de competitividade a passos largos. Nesse contexto, a informação (e sua propagação com qualidade) se torna um recurso extremamente estratégico para o sucesso de qualquer empresa.

Assim, surgiu o que foi batizado como gestão do conhecimento. A seguir, você vai entender de uma vez por todas o que está por trás desse conceito, como também cinco dicas valiosas para implementar uma cultura de aprendizado no dia a dia dos negócios.

O que é gestão do conhecimento?

Conceitualmente, o termo surgiu na década de 1990, com a definição do filósofo e economista austríaco Peter Drucker, considerado o pai da administração moderna. Ele instituiu gestão do conhecimento como a coordenação e exploração dos recursos do conhecimento organizacional para criar benefícios e vantagens competitivas.

À época, também citou: “A sociedade do conhecimento é a primeira sociedade humana onde o crescimento é potencialmente ilimitado. O conhecimento difere de todos os outros meios de produção, uma vez que não pode ser herdado ou concedido. Ele tem que ser adquirido por cada indivíduo e todos começam com a mesma e total ignorância”.

A ideia central é que todo o conhecimento gerado por seus colaboradores pertence e deve ser aplicado na organização. Para empregá-lo, são necessários processos bem definidos de criação, compartilhamento, uso e gerenciamento da informação.

Imagine que exista um grande HD capaz de armazenar a “memória” da sua empresa. Gestão do conhecimento é exatamente isso: o recolhimento inteligente dos dados gerados por sua empresa para que funcionários os usufruam em prol do crescimento organizacional.

Confira abaixo algumas dicas de como facilitar a gestão do conhecimento na sua empresa!

  1. Crie a sua central de conhecimento

A ideia aqui é dizer que centralizar conhecimento em um ambiente acessível vai de encontro às boas práticas atuais de gestão.

Um dos problemas vitais em gestão de conhecimento é a dispersão dos dados. Por isso, agrupá-los em um único lugar vai dar autonomia para que os colaboradores consultem informações e aprendam cada vez mais de forma constante.

Hoje, existem sistemas na nuvem que possibilitam o armazenamento das informações da empresa de forma bastante organizada. Nesses locais, documentos, e-mails, gráficos e até vídeos podem ser hospedados e divididos, por exemplo, em pastas ou categorias para facilitar a organização e o acesso.

  1. Realize a gestão do capital intelectual

Como descobrir qual é a forma mais eficaz de utilizar o conhecimento de todos os funcionários na empresa? A resposta está na gestão do capital intelectual. Com ela, é possível saber quais são as competências e habilidades já incorporadas pelas pessoas e quais ainda precisam ser desenvolvidas. Além de criar trilhas de conhecimento dinâmicas (falaremos sobre isso em um novo post).

Nessa prática, sua empresa também será capaz de entender se existe ou não gente na empresa detentora de alguns conhecimentos vitais, ajudando no desenvolvimento de talentos e até nas novas contratações. Tudo isso, ajudará a criar uma universidade corporativa robusta em sua empresa.

Outro ponto importante é compreender o que e quanto os profissionais conhecem sobre determinados assuntos. Assim, dá para construir novos processos e ações com base nesses conhecimentos que até mesmo a organização não sabia que existia internamente.

O oposto também acontece, ou seja, você passa a descobrir gaps de informação para aplicar treinamentos que capacitem funcionários.

  1. Desenvolva canais de discussão

De reuniões presenciais ao uso de plataformas de comunicação, desenvolva não só ambientes, mas uma cultura de debates e discussão de ideias.

Por meio da criação de canais digitais, você pode solucionar facilmente dúvidas recorrentes. Sabe aquela pergunta que todo novo funcionário faz? Ou ainda uma questão muito complexa de responder em uma simples reunião, mas que pode ser totalmente solucionada através de uma boa leitura? Os canais têm funções como essas.

Interação nunca é demais e deve ser encarada como produtiva. A troca de experiências aprimora capacidades intelectuais dos colaboradores. Você pode criar canais pertinentes a um departamento, habilidade ou até mesmo que comporte temas relacionadas a toda a empresa.

Mas aqui vai um alerta: de nada adianta criar um local online para debates, se não existir na companhia a rotina de constantes reuniões e vivência para transferência de conhecimento. É que só assim você terá um local oxigenado, com ideias novas de discussões relevantes para o crescimento da organização.

  1. Empodere seus colaboradores

Todas as dicas já citadas neste artigo só funcionarão com envolvimento dos profissionais. E muito disso passa por empoderá-los.

É preciso mostrar que cada profissional é parte importante da empresa, para que possa contribuir de forma constante e agregadora tanto em processos como no valor agregado de produtos e/ou serviços da empresa.

Assim que implementado uma cultura de gestão do conhecimento, dificilmente todos irão se envolver logo de cara. Essa é uma boa oportunidade de valorizar quem toma a frente: valorize publicamente as suas atitudes e forma de agir a favor dos resultados da empresa.

Essa é uma maneira eficaz de permitir ao funcionário protagonismo nas ações da empresa, propagando um ambiente competitivo, porém saudável.

  1. Implemente uma plataforma de LMS / LRS

Se para gerir e aplicar conhecimento a sua empresa ainda não possui uma plataforma de LMS (Learning Management System ou Sistema de Gestão de Aprendizagem) ou LRS, então passe a considerar essa opção.

Trilhas de educação corporativa, gamificação, conteúdo multimídia e avaliações de funcionários são alguns dos principais recursos que fazem do LMS / LRS, uma ferramenta bastante poderosa nos dias de hoje.

E como a dica aqui é em torno da gestão do conhecimento, uma forma bem interessante de disseminá-lo por meio do LMS é o chamado skill transfer, ou passagem de conhecimento.

Algumas plataformas oferecem ambientes como redes sociais internas que auxiliam no repasse e criação conjunta de informações, possibilitando reciclagem e treinamento sob demanda não só para os atuais como para novos colaboradores.

Na gestão do conhecimento, competências, habilidades e ideias que partem de colaboradores pertence também a organização. Comece agora mesmo a praticar as dicas apresentadas nesta postagem e ganhe vantagem competitiva.

 

 

Leia também:
O que é RH 4.0 e qual sua influência na educação corporativa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *